O Coliseu
"Existirá até o Coliseu, existem Roma; quando o Coliseu cair, Roma cairá; mas quando Roma cai, o mundo vai cair bem"

Os 5 melhores lugares de Roma, além do Coliseu e do Vaticano
O Panteão“Os mais belos vestígios da antiguidade romana”. Foi assim que o escritor Stendhal considerou quando viu o Panteão pela primeira vez.
O Panteão (Templo de todos os deuses) foi construído como um templo dedicado a todas as divindades por Marcus Vipsanius Agrippa, genro de Augusto, em 27 AC. e depois reconstruída por Adriano, entre 118 e 128 DC, após os incêndios de 80 e 110 DC. que danificou a construção anterior.
Foi convertida em basílica cristã no início do século VII, com o nome de Santa Maria ad Martyres, o que lhe permitiu sobreviver quase intactos aos saques realizados nos edifícios da Roma clássica.
Localizado no centro do Campus Martius, o Panteão é uma obra-prima da engenharia, inscrito em uma esfera exata de 43,44 metros de altura x 43,44 metros de diâmetro da cúpula que é hoje a maior cúpula do mundo, superando tanto a cúpula de São Pedro ( 42,52 m) e a cúpula de Hagia Sophia em Istambul (41,47 m).
O piso é ligeiramente convexo nas laterais e côncavo no centro para garantir que a chuva que cai no interior do templo através do óculo localizado no topo da cúpula flua em direção aos 22 orifícios de drenagem localizados no centro.
Na fachada, o friso traz a inscrição de Agripa em letras de bronze: M AGRIPPA L F COS TERTIUM FECIT, que significa "Marco Agripa, filho de Lúcio, cônsul construído pela terceira vez".
O Panteão abriga numerosos túmulos de artistas ilustres, de Raffaello Sanzio a Annibale Caracci, de Jacopo Barozzi da Vignola ao músico Arcangelo Corelli, bem como dos primeiros reis da Itália, Vittorio Emanuele II e seu filho Umberto I de Sabóia.


Lendas e curiosidades

  • A cúpula do Panteão é inteiramente feita de concreto (a maior já construída) e não tem estrutura para se apoiar. Para sustentar o esqueleto, Adriano mandou encher o Panteão de terra, diz-se, misturada com moedas de ouro e, terminada a obra, convidou os cidadãos romanos a retirarem a terra e ficarem com as moedas. Assim se desenvolveu uma verdadeira multidão e o Panteão foi esvaziado num piscar de olhos.
  • Todos os anos, no dia de Pentecostes, uma chuva de pétalas vermelhas cai do óculo, para lembrar a descida do Espírito Santo sobre Nossa Senhora e os apóstolos.
  • Todo dia 21 de abril, ao meio-dia, um raio de sol entra no monumento vindo do óculo (a única janela do teto) e emoldura perfeitamente a porta de entrada. Adriano projetou o Panteão desta forma (2.000 anos atrás!!) para homenagear Roma, nascida em 21 de abril de 753 AC.
    Horários de entrada: o Panteão está aberto todos os dias das 9h00 às 19h00 (última entrada às 18h30)


    Entrada do ingresso
     
    Ingresso + guia de áudio
     
    Visita guiada


    Praça NavonaA mais bela praça barroca de Roma que ocupa exatamente a arena do antigo Estádio de Domiciano, do qual preservou perfeitamente a sua forma retangular alongada, com um dos lados mais curtos curvados.
    O estádio foi construído por Domiciano por volta de 85 DC. para servir nos jogos atléticos gregos que incluíam corrida, boxe, lançamento de disco e dardo. E o nome da praça tem origem no latim “in agonis” (em Agone/in Nagone) que em latim significa “jogos”.
    O estádio tinha 265 metros de comprimento e 106 metros de largura (a arena media aproximadamente 240 x 65 metros), o auditório era composto por duas ordens de arcos sobre pilares de travertino e tinha capacidade para 30 mil espectadores. Duas das três entradas principais abriam-se no centro dos dois lados compridos, sendo a terceira abertura para o lado curvo que, na praça de hoje, é fechada por um edifício moderno, sob o qual é visível o correspondente arco de travertino na terceira entrada para o antigo estádio.
    Na Idade Média, construíram-se casas nos terraços que depois foram transformadas em palácios a partir de 1400, enquanto a praça foi utilizada durante séculos como mercado e, periodicamente, utilizada para jogos e celebrações públicas.
    O obelisco que hoje se encontra no centro da praça (16,38 m de altura e, com a fonte, mais de 30 metros) foi construído pelo imperador Domiciano, em 311 Maxêncio mandou transferi-lo para o circo de sua villa na Via Appia Antica. Foi somente em 1651 que o Papa Inocêncio
    A Fonte dos Quatro Rios é um dos mais belos e famosos monumentos da Roma barroca e representa os quatro grandes rios conhecidos na época, o Ganges, o Nilo, o Danúbio e o Rio della Plata, com tantas estátuas gigantes. O Nilo tem a cabeça velada porque suas fontes eram desconhecidas na época, mesmo que para o povo, porém, expressava o desprezo de Bernini pela vizinha igreja de S.Agnese in Agone, projetada por seu rival Borromini, enquanto o braço levantado, para a proteção da cabeça, na figura do Rio de la Plata, expressava o medo irônico do artista de que a igreja pudesse desabar.
    A Piazza Navona, no entanto, permanece famosa na memória dos romanos pelos festivais e jogos aquáticos que ali se realizaram até 1870, quando, sendo Roma a capital da Itália, a praça foi pavimentada com "paralelepípedos". Durante quase dois séculos, todos os fins de semana de agosto, os esgotos das três fontes foram fechados, deixando a água transbordar e a praça, que na época era côncava, foi inundada, transformando-a no "Lago da Piazza Navona" e todos , nobres e pobres, divertiam-se atravessando a praça a cavalo ou em carruagem, os primeiros, ou chapinhando nela ou empurrando os carrinhos de mão na água, os segundos.
    A partir de 1870, com a construção da calçada central corcunda, a praça ficou ligada impossibilitando a criação do “lago”, mas a animação da praça renasce no período natalino com a festa da Epifania quando a Piazza Navona se enche de barracas , brinquedos, “bruxas” e “Papais Noéis”, como se não quisessem abandonar a brincadeira e a alegria que o acompanham há séculos.


    Entrada (com guia de áudio) Metrô Piazza Navona
     
     
    Visita guiada ao metrô da Piazza Navona


    A Galeria BorgheseEste museu está localizado dentro do parque da Villa Borghese e abriga grande parte da coleção de arte iniciada pelo Cardeal Scipione Caffarelli Borghese, filho do Papa Paulo V, que também foi o responsável pela construção da própria villa. Abriga uma coleção de arte única no mundo com obras de Gian Lorenzo Bernini, Bronzino, Canova, Caravaggio, Raphael, Perugino, Lorenzo Lotto, Antonello da Messina, Annibale Carracci, Pieter Paul Rubens, Bellini e Ticiano.
    As origens remontam ao final do século XVI, quando os Borghese, uma rica família de Siena, compraram terras ao norte de Roma, fora da Porta Pinciana, e sobretudo quando em 1605 Camillo Borghese foi eleito papa (com o nome de Paulo V) e o família começou a construir uma villa no seu próprio parque Pincio.
    É por isso que no museu que abriga o maior número de obras de Bernini e Caravaggio você encontra:

  • Os Ratos de Prosérpina, grupo escultórico criado por Bernini entre 1621 e 1622 e que representa o sequestro de Prosérpina pelas mãos de Plutão, deus do submundo. Segundo a lenda, no Sequestro da Donzela, às margens do Lago Pergusa, perto de Enna, Mãe Ceres, deusa da desordem, cheia de dor, reduziu toda a aridez da terra, obrigando Júpiter a interceder junto a Plutão para permitir o retorno. de jovem doou sete meses por ano.
  • Apolo e Dafne, a maravilhosa escultura criada por Bernini entre 1622 e 1625, representa a fábula que Ovídio conta em seu conto Metamorfoses: Apolo, causa da vingança de Eros , é atingido por uma flecha Ele é o invasor da ninfa Daphne, seguido por Diana. O torcedor, porém, supera a dor que provoca o sentimento contrário, rejeita o amor e reza ao Pai, o rio, para que o ajude a escapar do agressor divino. A obra representa o momento culminante da metamorfose de Daphne no loureiro, enquanto Apolo, após a corrida, chega à mãe, que já transformou os pés em raízes e as mãos em braços folhosos.
  • O Doente Bacchino, criado por Caravaggio entre 1593 e 1594 durante sua convalescença no Hospital Consolazione após uma pancada na perna causada pelo coice de um cavalo. O título da pintura se deve à cor da pele do sujeito, que segundo alguns estudiosos seria um autorretrato do próprio Caravaggio.
  • Davi com a cabeça de Goliad, provavelmente executado por Caravaggio em Nápoles, em 1609-1610, quando Caravaggio fugiu para Roma e foi encontrado no exílio. Na foto Davi não demonstra uma atitude orgulhosa de triunfo enquanto mente e observa a cabeça raspada de Golias. A sua expressão, porém, é antes de piedade para com aquele “pecador”. em cujo rosto Caravaggio teria retratado seu autorretrato.
    Entre as outras maravilhosas obras presentes no museu lembramos a estátua-retrato de Paolina Borghese Bonaparte disfarçada de Vênus vitoriosa criada por Antonio Canova entre 1805 e 1808, A senhora com o dogwood de Rafael (1505-1507), Amor Sagrado e Amor Profano de 1514 de Ticiano ou A Caçada de Diana de Domenico Zampieri conhecido como Domenichino ( 1616-1617).


    Horários de entrada: A Galeria Borghese está aberta de terça a domingo, das 9h00 às 19h00, com horários de entrada variando a cada hora. Última entrada sempre às 17h45. A bilheteria está aberta das 8h30 até 1 hora antes do fechamento do museu.
    A Galeria está fechada nos dias 25 de dezembro e 1º de janeiro.


    Bilhete de entrada
    Visita guiada


  • Além do Coliseu


    il-Colosseo.it S.r.l.
    P. IVA: 14810651001
    Todos os direitos reservados
    Informações sobre o uso de cookies
    Política de Privacidade